Arquivo | direitos humanos RSS feed for this section

Imaturidade

28 out

Por Lucas Lipka Pedron* e Rafael Athayde**

Os fascistas abrem suas asas. Espalham o medo e o ódio, cobrindo com as trevas da violência o sol da liberdade que tenta reerguer-se no horizonte. Matam e bradam, os ludistas, palavras de ordem cheias de ódio, quebrando portões, janelas, as portas das escolas que juram tão hipocritamente defender. Estes reacionários se multiplicam, se alimentam do sofrimento e da barbárie, repetindo em suas poucas vozes a podridão de palavras torpes, fermentadas no borbulhar das profundezas dos intestinos de governantes autoritários. Estes covardes canalhas, com seus embustes e seus tacapes, estufam o peito galinácio, ostentando suas fragilidades irracionais. Mas brava e brandamente os jovens secundaristas envergam o arco e tiram do alforje a verdadeira flecha da democracia, e matam as esperanças fúteis desses crápulas sorrateiros e mesquinhos.O medo paralisante desfalece em cinzas, e a alegria renasce a cada dia para nos lembrar que devemos lutar, mas TEMER JAMAIS.

Continue lendo

Anúncios

Carta de apoio aos jornalistas da Gazeta do Povo

22 jun
10387473_10200343660750949_2672187068155627213_n

Campanha do SINDIJOR em 2015 já alertava para este problema

No dia 15 de fevereiro deste ano, a Gazeta do Povo publicou matéria intitulada “TJ e MP pagam supersalários que superam em 20% o teto previsto em lei”. Na matéria, eram expostos dados – já públicos no Portal da Transparência – com os salários pagos a magistrados em 2015. Entre outras questões, abordava a remuneração de juízes, desembargadores, promotores e procuradores, com seus complementos como indenizações, pagamentos retroativos e auxílios, incluindo o auxílio-moradia.

Continue lendo

Curitiba sediará seminário da Fundação Lauro Campos

12 abr

IMG-20160412-WA0007Visando contribuir para a elaboração dos programas de governo a serem apresentados nas cerca de 200 cidades onde o PSOL irá disputar as eleições neste ano, a Fundação Lauro Campos está promovendo seminários temáticos em várias cidades. E Curitiba está nesta rota: vai receber, no dia 16 de abril, o seminário sobre Direitos Humanos e Segurança Pública e sobre Saúde.

Para os seminários, serão convidados militantes dos Setoriais do PSOL e também ativistas e formuladores dos temas que estarão em debate. A Fundação Lauro Campos repetirá o método já usado em outras eleições e nas plataformas eletrônicas utilizadas em Porto Alegre (Compartilhe a mudança), Curitiba (De olho na cidade) e Rio de Janeiro (Se a cidade fosse nossa), que prevê a ampla participação, independente da filiação ao partido.

Continue lendo

PSOL é contra Lei que proíbe o uso da tração animal em Curitiba

4 out

dscf2982O PSOL-Curitiba vem por meio desta nota repudiar a aprovação da Lei que dispõe sobre a proibição de uso de veículos da tração animal e exploração animal.

Entendemos a importância do tema e o achamos muito pertinente, mas por motivos diversos do que os propostos pelo prefeito, que comenta em seu texto enviado à Câmara Municipal de Curitiba sobre a uma “nova paisagem urbana” do município. Uma paisagem que promove ainda mais a exclusão social ao qual essa classe trabalhadora faz parte. Porém a discussão sobre a nova Lei (se é que houve) foi feita de maneira rasa, com pressa e sem o direcionamento das causas decorrentes de sua aprovação.

Continue lendo

Reunião do Núcleo de Direitos Humanos

19 set

O Núcleo de Direitos Humanos do PSOL-Curitiba convida a todos e todas para sua reunião, a ser realizada na próxima terça-feira, 22/09/2015, às 19h00, na sede do PSOL (R. Voluntários da Pátria, 475, 13º andar – Ed. Asa – Praça Osório).

Pauta:

I. Conselho Tutelar;

II. Cotização e finanças.

Mais informações: Thiago (41-9143.2044).

Reunião do Núcleo de Direitos Humanos

10 set

O Núcleo de Direitos Humanos do PSOL-Curitiba convida a todos e todas para sua reunião, a ser realizada na próxima quinta-feira, 17/09/2015, às 9h00, na sede do PSOL (R. Voluntários da Pátria, 475, 13º andar – Ed. Asa – Praça Osório).

Pauta:

I. Conselho Tutelar;

II. Cotização e finanças.

Mais informações: Thiago (41-9143.2044).

“Sou pastor e a legalização é pela vida”

15 ago

maxresdefaultPor Henrique Vieira*

Como pastor, estou interessado na vida com qualidade, liberdade e plenitude. A guerra às drogas é um dispositivo jurídico que ativa um Estado policial que mata seletivamente pobres, negros e moradores de favelas e periferias em nosso país. Minhas formulações morais não se sobrepõem à vida, mas partem dela. É com os olhos atentos para a realidade que percebo a legalização e a regulamentação das drogas como políticas que apontam para uma dinâmica de responsabilidade, autonomia, cuidado, assistência e garantia da vida. É preciso quebrar o tabu, suspender conceitos morais que não dialogam com a vida e acionar a liberdade responsável. Não é preciso usar ou ser a favor do uso de drogas para defender a sua descriminalização, ou seja, o que está em questão não é a opinião individual, que deve ser sempre respeitada, mas a garantia da liberdade e da vida também daqueles que pensam diferente. É importante ressaltar, inclusive, que a legalização das drogas não gera aumento do seu consumo, como já foi comprovado por um estudo feito pelo Centro Europeu de Monitoramento de Drogas e Dependência em 2012.

Continue lendo

Etapas municipais do Congresso do PSOL em Curitiba já estão marcadas

20 jul
Mesa do I Congresso Nacional do PSOL.

Mesa do I Congresso Nacional do PSOL.

Em 2015 a militância e os filiados do PSOL tem uma missão muito importante: definir a nova direção nacional e o que o partido vai fazer nos próximos 2 anos no V Congresso do PSOL. E esse processo se inicia em breve, agora em agosto, com as etapas municipais (plenárias) que visam debater as teses e eleger delegados para o Congresso Estadual, momento que posteriormente serão eleitos delegados para o Congresso Nacional.

As plenárias acontecem nos municípios onde há filiados do PSOL. Em Curitiba, por conta do tamanho da cidade, serão realizadas 5 plenárias. O filiado deverá se credenciar apenas em uma, tendo direito então a participar do debate das teses escritas e inscritas para o Congresso. Para tal, precisará contribuir com a taxa de R$15,00, que vai custear toda a realização do Congresso.

Continue lendo

V Congresso Municipal do PSOL – Ata e resoluções

15 jun

Ata do V Congresso Municipal do PSOL Curitiba

O V Congresso Municipal do PSOL Curitiba foi realizado no dia 13/06/2015, das 9:30h as 17:30h, na sede do Núcleo Sindical Curitiba Norte da APP-Sindicato, na Avenida Marechal Floriano Peixoto, 306 cj 83. O congresso foi constituído das seguintes etapas: 1) Balanço da política municipal; 2) Apresentação de teses; 3) Debates; 4) Resoluções e 5) Eleição do Diretório Municipal. A mesa foi composta, na parte da manhã, por Renata Moraes, presidenta municipal e Cesar Fernandes, secretário de comunicação. No período da tarde, a mesa foi composta por Renata, Cesar e por Jean Aurélio, representando o secretário de formação política, Alef Franklin.

Continue lendo

Plenária da campanha Fora Beto Richa é nesta quinta-feira

16 maio

unnamedNa próxima quinta-feira, dia 21 de maio, as 19h00, será realizada em Curitiba, nas escadarias da praça Santos Andrade, no centro da cidade, a primeira reunião pública e aberta visando organizar a campanha “Fora Beto Richa”. A reunião está sendo organizada diversos ativistas, correntes políticas, sindicatos e movimentos sociais que entendem que chegou o momento de mobilizar todo o conjunto da população paranaense pela saída de Beto Richa do governo do estado.

Desde fevereiro temos escutado nas manifestações a palavra de ordem “Fora Beto Richa”. E o que parecia algo muito distante, passou a se tornar possível a partir das duas ocupações da ALEP em fevereiro e do episódio da bancada do camburão. Ali ficou claro que Beto Richa não tinha mais condições de governar e que seu mandato iria se “arrastar” nos próximos anos. Depois disso, tivemos a divulgação de pesquisas apontando a desaprovação recorde do governador, as denúncias de corrupção e pedofilia envolvendo assessores, a perseguição a jornalistas e o descumprimento dos acordos que possibilitaram, em março, o fim das greves dos trabalhadores do serviço público estadual. Por fim, o massacre do dia 29 de abril, com o cinismo característico dos tucanos para justificar o ocorrido.

Continue lendo